Análise Subnotificação

No Brasil e no mundo existe um cenário de incerteza sobre a taxa de mortalidade da COVID-19. As taxas têm variado especialmente pela incerteza sobre a quantidade total de pessoas infectadas, o que se dá especialmente pela falta de disponibilidade de testes de confirmação da infecção pela COVID-19, produzindo discrepâncias importantes no cenário internacional (1)(2), e dificultando a implementação de políticas públicas para o controle da situação.

A Coréia do Sul é um dos poucos países que têm conseguido realizar testes em massa (3), o que sugere que a taxa de mortalidade seja mais fidedigna em relação a outros locais. Outro fator importante levado em conta é a variação da pirâmide etária entre os países, no qual se realizam os ajustes necessários, conforme descrito em mais detalhes na página sobre a metodologia.

Portanto, considerando que a Taxa de Mortalidade é fixada, o método faz um ajustamento da curva de casos com base no registro de óbitos, considerando que este é mais consolidado em nosso país, apesar de também haver relatos de subnotificação dos óbitos.

A Taxa de Mortalidade ainda é ajustada a partir de um deslocamento temporal entre o registro de óbitos e a confirmação de casos, seguindo um alerta publicado no The Lancet, porém ajustado para o Brasil a 10 dias, dado que os testes têm sido realizados já em processo de agravamento da doenças e não nos sintomas iniciais.

Nesse cenário, a Taxa de Mortalidade real para o Brasil seria de 1,08% e a taxa ajustada, em média, seria de 5,7%, assim como apresentado no gráfico a seguir. A taxa de mortalidade projetada é calculada com base na estimativa do número de óbitos para os próximos 10 dias.

O gráfico a seguir ilustra a situação atual estimada da população infectada pelo COVID-19 (ajustados) e compara com os casos notificados, mostrando a discrepância do real cenário brasileiro de população de pessoas infectadas pela doença.

Considerando a quantidade de 1.124 óbitos no dia 11/04/2020, temos o valor ajustado estimado de população infectada, de 10 dias antes, do dia 01/04/2020 de 104.368 pessoas, comparado aos 6.836 casos notificados tínhamos um percentual de 93,45% de subnotificação. Ao projetar o número de óbitos para o dia 21/04/2020, obtemos o valor projetado estimado de população infectada do dia 11/04/2020 de 312.288, comparado à quantidade de notificados para o dia 11/04/2020 de 20.727, temos 93,36% de subnotificação.

Observando a situação de cada estado, pode-se ver a estimativa de subnotificação de pessoas infectadas.

EstadosTaxa de Letalidade AjustadaCasos ConfirmadosAjustadoÓbitosVariação
São Paulo1,18%8.419125.9745601496,31%
Amazonas0,57%1.05039.329533745,62%
Rio de Janeiro1,30%2.60737.2161551427,54%
Pernambuco1,00%81630.449723731,50%
Ceará1,03%1.58220.439671291,97%
Maranhão0,82%34417.812215177,91%
Paraná1,15%6768.047261190,38%
Bahia1,03%6355.70421898,27%
Santa Catarina1,10%7325.57421761,48%
Paraíba1,12%854.038114750,59%
Rio Grande do Sul1,40%6403.99315623,91%
Minas Gerais1,22%7503.83817511,73%
Distrito Federal0,83%5793.31414572,37%
Goiás0,90%2093.300101578,95%
Rio Grande do Norte1,05%2892.85513987,89%
Pará *0,68%2171.47710680,87%
Espírito Santo *1,09%3498279236,99%
Piauí *0,98%4171471742,21%
Amapá *0,52%1935783299,26%
Sergipe *0,85%4246841114,22%
Mato Grosso *0,80%1213763310,82%
Alagoas *0,86%483503728,61%
Acre *0,60%723312460,22%
Rondônia *0,69%332882872,06%
Roraima *0,48%372081561,78%
Mato Grosso do Sul *0,97%1002052205,16%
Tocantins *0,82%23000,00%

* Para os estados PA, ES, PI, AP, SE, MT, AL, AC, RO, RR, MS e TO, não há dados suficientes para estimar a projeção, portanto os valores da coluna Subnotificados e Ajustados são apresentados para a data de 01/04/2020. Todos os outros para a data de 11/04/2020.

Análise: Rodrigo Gaete

Atualizado em 11/04/2020